EXPERIÊNCIAS DE 2016


Esse ano foi um ano muito bom para o meu RPG, não só tivemos vários lançamentos, como também pude ir a dois grandes eventos, e até organizar um pequeno torneio de RPG (a pequenina marca que se encontra abaixo), sim pois é, estou mesmo satisfeito!

torneio-do-nono-mundo-01

E algo que gostaria de dividir com vocês é a adaptação que tive de fazer no meu ritmo de jogo, pois mestrar em eventos  possui suas próprias características, todos sabemos que jogar em nestes locais, não temos o mesmo tempo que em casa, uma partida pode levar mais de 4 horas fácil, mas em eventos as pessoas não vão só para jogar, mas andar, ver pessoas e comprar.

MESTRANDO EM EVENTOS


pequena-foto-do-grande-jonata-narrandoPor isso ao ser chamado para mestrar em um evento Geek, que nem era focado para rpg, tive de pensar em todo um novo tipo de abordagem, eu não estou dizendo que tive de reinventar a roda, muito pelo contrário, o que fiz foi maximizar o uso dela. Ok, isso ficou confuso, então vamos para uma demonstração:

1) O primeiro passo que tive de dar foi escolher um sistema que fosse rápido, o que quero dizer com isso é, nenhum sistema de combate que dure mais de 20 minutos para se resolver, com um grupo de até 6 jogadores. Para esta tarefa o Savage Worlds, da editora Retropunk, caiu como uma luva, suas regras permitem ir desde combates táticos, ate tornar os combates como testes de pericias.

2) O segundo, bem esse foi mais focado na forma de mestrar, manter as coisas simples, com objetivos claros e diretos, pequenas missões que pudessem ser solucionadas rapidamente, para isso as pistas teriam de ser mais direcionadas e claras. Em uma das aventuras os pcs descobriam um corpo de um padre, o mentor deles, e as pistas indicavam que ele havia sido morto por uma criatura que vivia nos esgotos.

3) O terceiro passo, material pronto, pode parecer besteira, mas um erro comum que vejo alguns mestres cometerem é o de fazer as fichas nos próprios eventos, claro quando falamos de mestres e narradores de editoras isso já não ocorre, mas quando a galera leva seus jogos favoritos para os eventos ainda por conta própria, vez ou outra eles permitem a criação de personagens, o problema com isso é que uma construção de ficha pode tomar tempos essenciais de jogo, então leve suas fichas prontas.

4) O quarto e último ponto, finalize sua história, algo comum em muitas mesas, é a incapacidade de um mestre finalizar suas aventuras, porem isso é muito frustrante para alguns jogadores, pois não dá aquela sensação de conclusão, então ao criar suas aventuras planeje com antecedência, mas conclua suas histórias, para isso use como referencial o horário do evento, e quanto tempo sua aventura irá levar para se encerrar.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES por Gabriel Velloso


Bom, já não é a primeira vez que encaixo algo nas postagens do nosso querido Jonata (e nem vai ser a última, assim espero). Mas senti aqui a necessidade de passar um pouco, talvez uma prévia de uma próxima postagem com este mesmo nome (Primeiras Impressões), de algo que tem uma importância extrema ao meu ver, que pode ser crucial para esse nosso tão querido meio do RPG.

As “primeiras impressões” acontecem bastante em eventos, a curiosidade de alguém que já ouviu falar, já jogou há muito tempo no colégio “mas nem lembra muito bem como é” ou mesmo incentivado por um(a) amigo(a), e essa impressão pode acontecer num evento grande, com um ambiente próprio destinado para o RPG mas também pode acontecer em pequenos espaços de um evento geek ou algum mais voltado para o público que curte anime, evento literário ou até mesmo nos encontros que permeiam o nosso nicho do RPG, como os de Boardgames e Cardgames.

dsc04181

O porque eu estou levantando isso?! Estou comentando (atrelado ao ambiente de eventos) por conta do próprio objetivo desta matéria, o quão importante é para o mestre se preparar para um evento, e não somente em relação ao tempo mas também pensando naqueles que comentei acima, nos que estão chegando e nos que estão retornando depois de muito tempo. Uma linguagem didática sobre o cenário, talvez uma introdução, um passo a passo simples do sistema, podem ser diferenciais para que estes indivíduos, se aceitos e incentivados (com materiais e uma boa história), possam curtir ou até mesmo voltar ao meio, ou pelo menos ficar mais animados!


“A melhor propaganda é feita por clientes satisfeitos” – Philip Kotler


Adoro essa citação acima, porque “clientes satisfeitos” são produtos das boas experiências e certamente o primeiro contato do usuário conta muito para isso! Ah, e nunca pensem que os recém chegados ou iniciantes no meio são menos ou vão agregar menos por isso, te digo que excelentes experiências, jogando e mestrando, em eventos e fora deles, foram com novos jogadores. Portanto, busquem estar preparados mestres, ainda mais se vocês tiverem a oportunidade de em sua “mesa” causar uma primeira impressão (do RPG) em alguém.

Acabei escrevendo mais do que pensei que faria…hahaha, espero que curtam as dicas e essa observação feita por mim. Deixo um forte abraço para todos vocês!


Espero que isso tenha te ajudado em algo, se gostou (ou não), se tem uma pergunta ou mesmo uma dúvida, deixe seu comentário abaixo e nos de seu retorno. Queremos ver o RPG crescer cada vez mais!

Ate uma próxima!

Jonata Sodre
Um amante de Historias e de RPG.